O que faremos aqui?

Este é um blog absolutamente aberto a todos aqueles que quiserem colaborar enviando notícias, comentários, artigos, estatísticas, sugestões, ideias, etc, sobre o assunto central: a construção de uma sociedade mais justa. Pensamos que uma primeira vertente de trabalho seja o de divulgar e debater o conceito central da desigualdade, que é a raiz de todos os males que impactam na qualidade de vida da sociedade. Não existe no mundo nenhum País, nem grupo social que possa atingir elevada qualidade de vida, se entre seus integrantes existe um nível relevante de desigualdade. A luta contra esta, precisa, primeiramente, conscientizar as partes da sociedade mais afetadas, para que elas compreendam que somente exercendo pressão sobre os governantes e as classes mais favorecidas, será possível mudar a situação.

Em paralelo a isso, é necessário desenvolver ideias implementáveis, que permitam viabilizar essa mudança. O livro que publicamos neste mês (É possível construir uma sociedade mais justa?), analisa o conjunto de barreiras que impedem caminhar no processo de mudança. O texto desenvolvido tem também como objetivo especificar um diagnóstico. Cabe agora na sequência, discutir alternativas que possam ser propostas com essa finalidade. Cada vez com maior frequência, pesquisas realizadas em todo o mundo mostram a insatisfação dos cidadãos da maioria dos países com os sistemas de governo atuais. Caberia a pergunta: então existem outras alternativas? 

Desde o século passado a desigualdade se comprova como resultado da pratica do capitalismo puro, isto é, aquele que incentiva a busca do lucro sem limites nem compensações, chamado por muitos críticos como capitalismo selvagem. O seu oposto, o comunismo, com suas ideias extremas de igualdade material, na prática até agora não mostrou sucesso, tendo beneficiado em suas experiências, apenas a classe dirigente. 

Atualmente, o mundo se confronta com as opções neoliberalismo (liberais que adotam o capitalismo) e a terceira força que emergiu: a social democracia. Esta, na sua melhor versão, aceita o capitalismo, porém colocando alguns “freios” para evitar o crescimento exagerado da desigualdade. Na segunda metade do século passado, a social democracia se destacou na Europa e levou muitos países a níveis de desenvolvimento invejáveis.  

Tanto no Brasil quanto em muitos outros países, essa situação de desigualdade é muito ruim. Segundo a ONU, o Brasil é o oitavo país mais desigual econômica e socialmente no mundo, apesar de ser um dos dez com maior PIB, o que é uma amostra das péssimas características da sua estrutura social. O país sofre o resultado do seu modelo de desenvolvimento econômico, de baixíssimo valor agregado, vicio de comportamento individual muito difundidos e a aderência a sistemas de governo que pouco e mal investem nas áreas sociais.  

Como não parece realista pensar atualmente em outros sistemas de governo, e tendo analisado que a mistura entre sistemas (capitalismo-socialismo) é a solução encontrada por aqueles países que hoje se encontram em níveis de desenvolvimento mais elevado, acreditamos ser esse o caminho correto. O que fazer para que as duas filosofias se encontrem na prática e como “convencer” a maioria da sociedade de que esse caminho é o melhor para todos, é o desafio que visualizamos quando decidimos através deste blog, incentivar o debate.

L.Piemonte – Janeiro 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *